top of page

É normal o idoso cair?

Atualizado: 12 de jun.

As quedas entre os idosos são um tema de preocupação crescente, e é fundamental compreender que não são uma parte inevitável do processo de envelhecimento. Embora seja verdade que qualquer pessoa, independentemente da idade, está sujeita a quedas, para os idosos, esses incidentes podem ter consequências mais sérias, muitas vezes resultando em lesões graves, hospitalizações e até mesmo morte.

A verdade é que as quedas representam uma das principais causas de morbidade e mortalidade entre os idosos em todo o mundo. Um estudo revela que a população idosa tem uma prevalência significativamente maior de quedas em comparação aos mais jovens, e esse aumento está diretamente associado ao envelhecimento natural do corpo, que pode resultar em perda de força muscular, redução da densidade óssea, problemas de equilíbrio e diminuição da acuidade visual e auditiva.

Além disso, as quedas têm sido associadas a uma série de consequências adversas para a saúde dos idosos, incluindo fraturas ósseas, contusões, traumatismos cranianos, medo de cair novamente, perda de independência e qualidade de vida reduzida. Em alguns casos, as quedas podem levar a complicações crônicas e até mesmo a uma diminuição na expectativa de vida.

É importante destacar que, embora as quedas sejam mais comuns entre os idosos, elas não devem ser consideradas como uma parte normal do envelhecimento. Pelo contrário, muitas vezes são um indicador de que algo está errado com a saúde ou condição física do idoso. Fatores como a presença de doenças crônicas, efeitos colaterais de medicamentos, deficiências sensoriais, problemas de mobilidade, ambiente doméstico inadequado e falta de atividade física podem aumentar significativamente o risco de quedas em idosos.

Portanto, é essencial tomar medidas preventivas para reduzir o risco de quedas entre os idosos. Isso inclui a realização de avaliações de saúde regulares, a revisão dos medicamentos prescritos, a promoção da atividade física regular para melhorar a força e o equilíbrio, a garantia de um ambiente doméstico seguro e a implementação de estratégias de prevenção de quedas, como a instalação de barras de apoio, tapetes antiderrapantes e iluminação adequada.

Em resumo, as quedas entre os idosos não devem ser consideradas como uma parte inevitável do processo de envelhecimento. Com uma abordagem proativa e cuidadosa, é possível reduzir significativamente o risco de quedas e garantir uma vida mais segura, saudável e independente para os idosos em nossa comunidade.


Agende sua consulta.


Verônica Filter de Andrade

Fisioterapia para idosos

CREFITO 153.807-F



8 visualizações

Comments


bottom of page